contador de visitas

MODA X ESTILO



Há muito preconceito em relação a moda, em parte porque tem um caráter efêmero (muda sempre, e seu meio é a roupa) e porque ela tem a ver com a aparência, supostamente privilegiando o superficial. Muitas vezes, a moda também é vista como algo feito para iludir, disfarçar ser alguém que, na verdade não se é.

Quem a critica dessa forma certamente desconhece as implicações sociológicas e psicológicas da moda: coisas simples como sentir-se bem ao usar determinada roupa, vulnerável vestindo outra. Porém a moda já deixou de ser sinônimo de futilidade e improvisação há muito tempo.




ENTÃO,
O QUE É MODA?



A palavra “moda” vem do latim modus, significa “modo”, “maneira”. É um sistema que acompanha o vestuário e o tempo, que integra o simples uso das roupas no dia-a-dia a um contexto maior, político, social, sociológico.

Pense no jeito em que as pessoas se vestiam nos anos 50 e depois nos 70. Essas mudanças é que são a moda. Ao retratar essas transformações, a moda reflete a sociedade à sua volta, sendo possível entender um grupo, um país, naquele período pela moda então praticada.




Um bom exemplo disso ocorreu durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), quando a mulher assumiu novos papéis (enquanto os homens lutavam nas trincheiras, as mulheres trabalhavam nas indústrias bélicas como empregadas). Suas roupas tiveram que ficar mais práticas; as saias foram cortadas, e aparece um novo comprimento, até a canela. Com as privações causadas pela guerra, surgiram novos materiais, inclusive o uso de tecidos poucos nobres.

A moda sempre andou em paralelo com a história e, desde seu aparecimento, a moda trazia em si um conceito estratificador. Apenas no final da Idade Média surgiu como conceito. Com o desenvolvimento das cidades e a aproximação das pessoas na área urbana, houve o desejo de imitar; os burgueses copiavam os tecidos e o jeito de se vestir e se portar da nobreza, que não ficou nem um pouco contente em se parecer com esses plebeus endinheirados (devido o comércio). Começaram então a criar códigos internos de vestir que mudavam rapidamente antes que a burguesia tivesse tempo de copiá-los. Nesse período também foi criado as regras de etiqueta, com objetivo de diferenciar as origens. A nobreza então caiu, os burgueses tornaram-se os donos do mundo, e a moda “pegou”.

Aos poucos, a evolução do vestuário foi acontecendo... Atualmente tratar de moda implica lidar com elementos os mais complexos, especialmente quando combinados. Tangemos valores como imagem, auto-estima, estética, padrões de beleza, inovações tecnológicas (como os tecidos inteligentes: lidam com troca de calor, mantendo o corpo quente no frio e vive-versa, ou evitam até a criação de bactérias), top models, moda de rua, tribos, criatividade, talento, enfim... nada é eterno na moda. Talvez seja isso que a deixa tão fascinante.




A moda nunca esteve tão democrática, por isso mesmo, nunca foi tão traiçoeira. Convém esclarecer que, se os usos mudaram e continuam mudando, nada autoriza a má apresentação pessoal, em um mundo globalizado, o marketing pessoal passa a ter uma importância indiscutível. Nossa apresentação, queiramos ou não, refletem ou trazem uma carga de nossa personalidade e todo mundo pode usar, trabalhar e até melhorar o seu tipo de beleza de uma ou várias maneiras.

Moda é uma manifestação que reflete periodicamente, os costumes, a situação social, política, econômica e cultural, os gostos e os anseios de um determinado grupo de pessoas de um mesmo país, região, sociedade ou cultura. Em outras décadas, ela tinha um caráter mais coercitivo, onde o público consumidor era fiel aos temas ditado para cada estação. Atualmente estes temas funcionam apenas como propostas. Cada um extrai da moda somente o que convém à sua filosofia, estilo e ritmo de vida. A moda dos últimos tempos está sempre compondo passado e futuro numa estética de inúmeras posturas.


ORIGEM

Um estudo entre várias civilizações antigas, nos mostra que os motivos que levaram o homem a vestir-se, ou seja, a introduzir o vestuário aos seus costumes, não foram somente a vergonha e as condições climáticas, mas sobretudo, o desejo dos homens e das mulheres de se tornarem mutuamente atraentes. E desses desejos, surgiu a arte de vestir: a moda. Contudo, a moda atualmente, é uma linguagem mais ampla, a escolha pelo uso de determinadas peças de roupas e acessórios pode ser motivo por inúmeras outras razões, assim a moda traduz:

• Posição social e econômica (ou desejo);
• Maneira de ser e de pensar;
• Tentativa de enfatizar qualidades físicas;
• Disfarçar defeitos;
• Sobriedade;
• Esportividade;
• Humor, criatividade;
• Bom gosto;
• Sensualidade;
• Profissionalismo.

A moda é um conjunto de relações que cria uma imagem estética e não é arbitrária, ou seja, tem uma razão de ser. Ela se adapta a novos ritmos de vida, noções de tempo, novos meios de comunicação, de informação, de transporte. A modernização exige do traje, do acessório e do penteado/corte de cabelo adaptações a esse ritmo de andar, a essas noções de tempo, as comunicações que tendem à velocidade, e à aceleração.

ALTA-COSTURA
As roupas ou coleções de alta-costura são feitas para ajustar-se a clientes individuais e são muito caras, uma vez que o estilista utiliza tecidos exclusivos e costureiros altamente qualificados.

PRÊT-À-PORTER
O prêt-à-porter (prontas para usar) são coleções de alta qualidade, mas produzida em grande quantidade. Mesmo assim, elas ainda conservam um ar de exclusividade e como não são desenhadas para cada cliente, elas podem refletir os conceitos do designer.

SUPERMARCAS LUXUOSAS
São empresas globais que têm imensos orçamentos de publicidade e lojas próprias. Elas desenham e produzem artigos de luxo do designer e promovem suas coleções na passarela durante os desfiles de prêt-à-porter do designer.

MARCAS E DESIGNER DE MÉDIO PORTE
Não é poderosa quanto uma supermarca, mas mesmo assim é uma companhia estabelecida que comercializa com um bom faturamento e perfil. Ela vende no atacado, ou pode ter franquias e suas próprias lojas. Pode apresentar desfiles e trabalhar com lojas luxuosas.

MARCAS DE DESIGNER INDEPENDENTES
Trabalha com uma pequena equipe para produzir uma coleção e tem o controle completo de seu negócio, por isso são capazes de desenhar coleções muito personalizadas. Pode mostrar sua coleção na passarela de feiras de moda, e em geral, são vendidas no varejo para boutiques ou lojas de departamentos.

MARCAS DE ROUPAS CASUAIS E ESPORTIVAS
Produzem diferentes linhas de produtos, acessórios e artigos de beleza, assim como suas grandes coleções, e muitas escolhem a publicidade – não se apresentam em desfiles de prêt-à-porter. Roupas casuais e esportivas também são desenhadas em porte médio e há também as supermarcas envolvidas neste setor.

MODA DE RUA
Empresas de moda que têm cadeias de lojas ou franquias por todo o país ou até pelo mundo, que desenham coleções que vão diretamente para o varejo. Elas examinam as coleções da passarela e buscam tendências, e por causa de sua configuração de produção, são capazes de lanças rapidamente os produtos no mercado.

SUPERMERCADOS
São produzidas rapidamente e em grande quantidade para satisfazer as exigências do consumidor, o que significa que custam menos para fabricar e podem ser vendidas a um preço razoável.


ESTILO

Antes mesmo que você se pronuncie, suas roupas já disseram muito a seu respeito. Roupas revelam o que somos ou desejamos ser, o jeito que vivemos. Por isso é tão importante cada um vestir sua própria linguagem, sua própria identidade. Ter pleno domínio sobre esse vocabulário é algo que nos favorece, inclusive porque sempre experimentando certo desconforto quando vamos encontrar o outro. No fundo, sabemos que seremos julgados pela maneira como nos apresentamos.

Essa imagem inicial faz com que muitas pessoas sejam destruídas ou eleitas.

No vestuário, como em todas as outras formas de expressão humana, também possuímos estilos diferentes. Daí podemos definir estilo como a essência de cada pessoa traduzida no seu modo de vestir.

Estilo é o que faz uma pessoa única.
É o seu modo de dizer ao mundo "sou singular".
Por isso mesmo, o estilo é mais do que uma maneira de se vestir: é um modo de ser, de viver e de agir. São suas escolhas particulares, suas referências, desejos, humores e até mesmo suas fantasias.

Estilo são os modos, não as modas e os modismos. A moda é uma proposta da indústria, o estilo é uma escolha pessoal. Embora possa parecer estranho, na verdade o estilo não tem muito a ver com a moda, ela passa, o estilo permanece.



2 comentários:

  1. amei o seu post! Eu fiz curso de consultoria de moda e foi como relembrar as minhas aulas <3

    ResponderExcluir